Convite prefeitura REABERTURA hidrovia

Após 20 meses paralisada, a Hidrovia Paranaíba-Tietê-Paraná terá a navegabilidade retomada nesta sexta-feira (11/03), às 10h, com a saída de um carregamento do porto da Caramuru Alimentos em São Simão.

O evento contará com a presença de várias autoridades políticas e empresariais de diversos estados. Dentre os convidados, os governadores de Goiás (Marconi Perillo) e de São Paulo (Geraldo Alckimin), o secretário do Meio Ambiente, Recursos Hídricos, Infraestrutura, Cidades e Assuntos Metropolitanos de Goiás (Secima), Vilmar Rocha e o prefeito Dr. Márcio Barbosa Vasconcelos.

A hidrovia com 2,4 quilômetros de extensão, administrada pelo Governo de São Paulo, contribui no escoamento de grãos produzidos na Região Centro-Oeste, já que a cada comboio que passa pelos rios, o tráfego de 180 caminhões pode ser evitado nas estradas.

A navegação foi interrompida em maio de 2014, devido ao baixo nível dos reservatórios das hidrelétricas Três Irmãos e Ilha Solteira, além da forte seca na Região Sudeste do Brasil.

O governador Marconi, o secretário Vilmar Rocha e o prefeito Dr. Márcio, durante esses quase 2 anos de paralisação, lutaram incansavelmente pela retomada da navegabilidade da Paranaíba-Tietê-Paraná. Eles estiveram por diversas vezes reunidos com os secretários paulistas Duarte Nogueira (Transportes e Logística) e João Carlos Meirelles (Energia e Mineração) e também com os ministros Aloízio Mercadante (então na Casa Civil), Antônio Carlos Rodrigues (Transportes) e Eduardo Braga (Minas e Energia).

A interdição, feita pela Marinha em maio de 2014, causou prejuízos de cerca de R$ 1 bilhão às empresas de navegação e desempregou mais de 1,6 mil pessoas, além de afetar o transporte hidroviário. O modal, que em 2013 transportou 6,2 milhões de toneladas em grãos (soja e milho, principalmente), celulose, madeira e cana, sofreu queda de 26,2% no volume transportado em 2014 e parou totalmente em 2015.

Segundo dados do setor, cerca de R$ 10 bilhões em produtos são transportados por ano pela hidrovia, que possui 2,4 mil km e atende SP, MG, MT, MS, PR e GO.

As chuvas na Região Sudeste possibilitaram a reabertura da hidrovia, além de operações para a transferência de água dos reservatórios localizados a montante de Três Irmãos e Ilha Solteira, bem como um entendimento dos governos de São Paulo, Goiás e Distrito Federal sobre a importância da via para diminuir os custos e aumentar a competitividade dos produtos nacionais.

Com a reativação da passagem de cargas de longo percurso, a projeção de movimentação na hidrovia, em 2016, é superar o montante de 6,3 milhões de toneladas de cargas registrado em 2013. Para o ano de 2017, a expectativa é de que essa quantidade suba para 7 milhões de toneladas. De 2006 a 2013, a quantidade de cargas cresceu de cerca de 3,9 milhões de toneladas para 6,3 milhões de toneladas.