Com investimentos de R$ 80 milhões, Terminal Rodoferroviário do Consórcio Rumo/Caramuru entrará em operação no primeiro semestre de 2021, gerando cerca de uma centena de empregos diretos definitivos na região 

O prefeito Ibinho, o Diretor da Rumo Malha Central, Pedro Palma, e o Diretor de Logística do Grupo Caramuru, Antônio Ismael Ballan, assinaram na tarde desta quinta-feira (23), em reunião no Hotel Mágica Visão, o termo de compromisso do projeto de lei para a criação de um programa de atração de investimentos e geração de empregos em São Simão. O documento estabelece novas diretrizes e concede benefícios e incentivos fiscais e tributários para empresas que venham a se instalar no Distrito Agroindustrial do município. O encontro aconteceu após uma visita do gestor municipal e dos represetantes das empresas Rumo, Caramuru e Sacyr ao canteiro de obras onde está sendo construído o Terminal Rodoferroviário de Transbordo do consórcio Rumo/Caramuru e à ponte férrea que está em construção pela Ferrovia Norte-Sul, para transposição do Rio Paranaíba. A lei em questão, além de subvencionar a implantação do terminal, criará mecanismos para atrair e convencer empresários a instalarem seus negócios no Distrito Agroindustrial. Depois de assinado, o documento será encaminhado à Câmara Municipal para aprovação, já nas próximas reuniões ordinárias da Casa Legislativa.

Durante o ato, Ibinho destacou a importância e as inovações trazidas pela lei. “A nova lei amplia a competitividade do nosso município e traz o que há de mais moderno nas leis de benefícios já existentes, além de novidades, como o compromisso que as empresas beneficiadas terão com a contratação da nossa mão-de-obra de São Simão e Itaguaçu”, explicou.

O gestor municipal ainda citou a forte parceria entre o executivo, legislativo e as empresas Rumo e Caramuru na implantação do novo empreendimento, às margens do Rio Paranaíba.

“Na manhã de hoje estive acompanhando o andamento das obras do Terminal Rodoferroviário de São Simão, uma importante obra em nosso município iniciada em fevereiro e que está sendo executada por meio de uma sólida parceria entre as empresas Rumo e Caramuru, e que conta nosso apoio e da Câmara Municipal desde a viabilização do projeto. Ficamos felizes também em poder anunciar de forma oficial que o primeiro trecho da Ferrovia Norte-Sul a entrar em operação será o de São Simão. Além disso, teremos o grande Terminal Rodoferroviário em operação já no primeiro semestre de 2021. São passos importantes na geração de emprego e renda para a nossa comunidade, além de um grande salto no desenvolvimento regional e nacional”, afirma.

Ibinho finalizou ressaltando o importante envolvimento da secretaria municipal de Desenvolvimento Social em todo o processo, como no oferecimento de cursos de qualificação da mão-de-obra local para o preenchimento das vagas que serão ofertadas no empreendimento, quando entrar em operação.

“Na oportunidade agradeço as empresas Rumo e Caramuru, pelo projeto pioneiro na inclusão da diversidade nas contratações de mão-de-obra local para o terminal. O projeto contará com o apoio da secretaria de Desenvolvimento Social e irá oportunizar, por exemplo, vagas de empregos para mulheres e para os portadores de necessidades especiais, além da disponibilização de cursos pra a qualificação para a nossa comunidade. Um agradecimento especial aos amigos Pedro Palma e Antônio Ballan, pela parceria e pelos investimentos que estão sendo realizados em nosso município”, disse.

O investimento anunciado pelo Consórcio Rumo e Caramuru, na construção do terminal rodoferroviário para transporte multimodal de cargas, é de aproximadamente R$ 80 milhões. O terminal interligará a Ferrovia Norte-Sul, em São Simão, e deve ser o primeiro trecho da FNS a entrar em operação.

Segundo projeções, o terminal poderá movimentar mais de 5,5 milhões de toneladas por ano de soja, milho e farelo de soja, o que equivale a mais de 80 mil caminhões por ano. O novo terminal rodoferroviário de transbordo de São Simão receberá cargas de Goiás, Mato Grosso e Triângulo Mineiro. O empreendimento deve começar a operar no primeiro semestre do ano que vem, com capacidade estática de 42 mil toneladas, dividida em seis silos, descarga rodoviária de 850 toneladas/hora (20 mil toneladas/dia) e carregamento ferroviário de 3 mil toneladas/hora. A previsão é gerar 290 empregos diretos e 1 mil indiretos durante as obras, e mais 90 empregos diretos definitivos quando o terminal entrar em operação.

De acordo com o Diretor Rumo da Malha Central, Pedro Palma, esse será o primeiro terminal da Rumo Malha Central, ampliando a competitividade do agronegócio da região.

“Queremos agradecer todo o apoio que nos foi dado pela Prefeitura para a viabilização da implantação desse terminal aqui, no município. Apoio este que foi muito importante para a nossa tomada de decisão. Com a operação do terminal que vai se iniciar já no primeiro semestre de 2021, teremos a necessidade da contratação de muita mão-de-obra e quero reforçar um de nossos pilares, como companhia, que é aumentar a diversidade e melhorar a inclusão da nossa força de trabalho. Então, garantir que tenhamos, por exemplo, uma maior participação de mulheres dentro das operações ferroviárias e de transbordo, refletindo de forma melhor sua participação dentro da sociedade. Dessa forma, teremos uma operação cada vez mais segura, competente e trazendo inclusão para todos da cidade”, falou.

O Diretor de Logística do Grupo Caramuru, Antônio Ismael Ballan, destacou que o Grupo Caramuru está presente no município há mais de 20 anos, com a instalação da única fábrica de esmagamento de soja, produção de biodiesel, glicerina e lecitina, às margens da Hidrovia Paranaíba-Tietê-Paraná, por onde também escoa parte de seus produtos.

Ballan falou também da felicidade do Grupo estar firmando mais essa parceria com a Rumo Logística, uma vez que, as duas empresas já são parceiras no corredor de exportação do terminal 39 do Porto de Santos (SP), e ressaltou que o novo terminal de transbordo rodoferroviário estará aberto à prestação de serviços a todas as empresas que tiverem interesse e escala para direcionar a produção para o Porto de Santos.

“O nosso terminal no Porto de Santos é um terminal de bandeira branca, como será o de São Simão que está nascendo agora, ou seja, um terminal que irá atender a todas as empresas e interessados em prestar serviços. Por isso, temos a felicidade em construir mais essa plataforma logística com a Rumo”, explicou.

Para o presidente da Câmara de Vereadores, Lazinho Lacerda, a efetiva instalação, em São Simão, dessa plataforma logística do terminal rodoferroviário de transbordo é fruto de da união de esforços entre os poderes executivo e legislativo municipal.

“Há cerca de um ano estivemos em Itumbiara com o Alberto Borges, para tratarmos dessa parceria entre a Rumo e Caramuru. Hoje, com a implantação do terminal, São Simão e Itaguaçu só vem a ganhar, e também toda a região do sudoeste goiano com a geração de emprego e renda. Não temos dúvida alguma, de que esse terminal ajudará no desenvolvimento não só de Goiás, mas de todo o Brasil”, apontou.

A reunião contou ainda com as presenças do Gerente Comercial da Rumo, Felipe Vallejo; dos Gerentes Executivos da Rumo, Altamir Perottoni e Bruno Morais; do Diretor da Caramuru Célio Garcia; do Diretor Comercial da Sacyr, Michel Michalua; da Procuradora Jurídica, Daniela Alves Reis, do Chefe de Gabinete, João Paulo Medeiros; do presidente da Câmara Municipal, Lazinho Lacerda, e dos vereadores Adriano Pimenta, Ana Maria, Camilo, Baiano, Kebinha e Leopoldo.