A Educação inclusiva é uma realidade na rede municipal de ensino de São Simão. Alunos com necessidades especiais no município ganharam, na Escola Municipal José Porfírio Nogueira, uma sala de Atendimento Educacional Especializado – AEE, que oferece atendimento específico às crianças que possuem alguma deficiência. Dessa forma, os estudantes compartilham o ambiente escolar juntamente com todos demais alunos, promovendo a integração e socialização entre as crianças. O AEE é um serviço da educação especial tem por finalidade a promoção de situações que favoreçam o desenvolvimento e a superação de suas limitações. De acordo com a Secretária Municipal da Educação, Ilza Maria Vasconcelos, a administração busca, com a implantação da sala, eliminar barreiras para a plena participação dos alunos, considerando as suas necessidades específicas, sejam elas de natureza física, intelectual ou sensorial. “Outro grande objetivo do Atendimento Educacional Especializado é complementar a formação do aluno visando a autonomia e independência dentro e fora da escola, embora suas atividades se diferenciem das realizadas em salas de aula de ensino comum”, falou Ilza. A Secretária explicou ainda que, a oferta do ensino especializado, ocorre no contra turno com um número menor de crianças em sala, garantindo um atendimento individualizado, o que favorece o aprendizado necessário para se chegar a outros domínios. “A criança especial, independente do nível e da deficiência, tem o direito de receber atendimento educacional de boa qualidade na rede regular de ensino. No primeiro momento há um ganho considerável entre crianças especiais, demais colegas, professores e toda a comunidade escolar, considerando que o processo inclusivo estimula um ensino mais humanizado baseado no respeito, na redução do preconceito, no cooperativismo e na interatividade entre o grupo”, afirmou. O prefeito Dr. Márcio Barbosa Vasconcelos informou, que atualmente 28 crianças são atendidas na sala de Atendimento Educacional Especializado e declarou que o resultado está sendo muito bom, dentro do que se espera em termos de tempo e desempenho dos professores. “As professoras Suzana Rodrigues e Maria Augusta, responsáveis pelo projeto, vem participando de cursos de capacitação, formação continuada e vão aplicando os conhecimentos no dia a dia da sala de aula”, destacou Dr. Márcio. “A preocupação que o município tem em melhor atender aos alunos da Rede Municipal de Ensino fez com que tivéssemos a preocupação de estar realizando estas formações para orientar melhor os profissionais na inclusão das crianças especiais”, explica a secretária Ilza. Vale ressaltar que a Secretaria Municipal de Educação é responsável por mediar todo o processo entre a escola e o MEC. Além da disponibilização de espaço físico para implantação dos mobiliários e materiais didáticos e pedagógicos de acessibilidade. “Nosso principal objetivo é que esses alunos especiais possam superar suas limitações e tenham a oportunidade de ser incluídos na escola, que tenham acesso à aprendizagem como qualquer outro aluno”, disse o prefeito Dr. Márcio.