Com o objetivo de homenagear e incentivar educadores e alunos a se engajarem na luta contra a exploração infantil, o prêmio MPT na Escola premiou com um tablet duas estudantes e uma professora de São Simão. O projeto, que desde 2013, faz parte de um convênio firmado entre Prefeitura e Ministério Público do Trabalho, em parceria com a Secretaria Municipal da Educação, teve como vencedoras as alunas Ana Alice Moreira Paulina e Bárbara Soares Souza. Vale destacar que a premiação ocorrida é referente ao projeto de 2015. Ana Alice Moreira Paulina, que atualmente é aluna da Escola Municipal Cora Coralina, em 2015 estudava na escola Municipal José Porfírio Nogueira. Já Bárbara Soares Souza em 2015 estudava na Escola Municipal Antônio Eustáquio e nesse ano letivo cursa o 6º ano no Colégio Municipal Leopoldo Moreira. A professora destaque do projeto em 2015 foi Maria das Graças Pereira, da Escola Municipal Antônio Eustáquio, extensão Itaguaçu. O projeto tem como objetivo combater a exploração de menores no trabalho infantil, em São Simão recebeu o título: “Trabalho Infantil é brincar e estudar”. No início de março em solenidade na capital Goiânia, foi feita a premiação do concurso. Compareceu no evento a secretária da Educação, Ilza Maria Vasconcelos, juntamente com a Professora Tania Silvia Carvalho Camargos, Coordenadora do projeto no município. A entrega da premiação às alunas aconteceu dia 29 último, na sede da Secretaria Municipal da Educação, com a presença do prefeito em exercício, Adelsso Nogueira, do vereador Antônio Camilo e das mães das alunas premiadas. “Aprendi que a gente deve dar muito valor ao que tem porque fotos e vídeos de crianças que eu vi trabalhando por aí mostram como é difícil a vida deles”, disse Ana Alice Moreira Paulina que contou que, tentou expressar a sua visão sobre o trabalho infantil por intermédio da arte. Na oportunidade, o prefeito em exercício, Adelsso Nogueira, falou sobre o papel da educação como instrumento de enfrentamento ao trabalho infantil. “É só ver o evento de hoje, em que adultos, crianças e adolescentes estão unidos em prol de uma causa, com a consciência de que essa mazela não deve ser cultivada em nosso país, de que o lugar da criança é na escola. Como dizem: criança não trabalha, criança dá trabalho”. O vereador Antônio Camilo, foi enfático ao afirmar que “lugar de criança é na escola. Costumamos dizer que as crianças são o futuro do país, mas qual o futuro que nós queremos? O que estamos fazendo hoje, no presente, para termos um futuro adequado e digno para as nossas crianças e adolescentes?”. A secretária Ilza parabenizou a professora e as alunas envolvidas e destacou a importância deste tipo de concurso, o qual faz os alunos pesquisarem e refletirem sobre temas relevantes para a sociedade. “O projeto tem como objetivo sensibilizar a comunidade escolar sobre o combate ao trabalho infantil. Ele se justifica, principalmente, pela necessidade de prevenir e erradicar o trabalho infantil e fortalecer o compromisso com a cidadania e o futuro das crianças”, disse. O Prêmio MPT na Escola tem por objetivo fomentar a participação de crianças e adolescentes nas ações de mobilização, conscientização e prevenção do trabalho infantil; reconhecer e divulgar os melhores trabalhos literários, artísticos e culturais produzidos pelos alunos, bem como a dedicação dos educadores envolvidos nas ações de prevenções à violação dos direitos de crianças e adolescentes.