O programa Ação Cidadã foi finalizado no fim da tarde desta sexta-feira (18/03) em São Simão registrando 11.182 atendimentos e 4.473 pessoas atendidas. O Ação Cidadã é um programa do Governo de Goiás executado pela Secretaria da Mulher, Desenvolvimento Social, Igualdade Racial, Direitos Humanos e do Trabalho (Secretaria Cidadã). Durante dois dias foram oferecidos mais de 20 serviços básicos à população, como emissão de documentos (carteira de trabalho, RG, CPF, certidão de nascimento), Passaporte do Idoso, Passe Livre do Deficiente, doação de medicamentos, donativos da OVG, orientação para programas sociais como Renda Cidadã e Bolsa Família e até cuidados pessoais, com corte de cabelo. Na quinta-feira (17) pela manhã, uma fila se formou momentos antes do início da solenidade de abertura, que contou com a participação do prefeito em exercício, Adelsso Nogueira, da Secretária da Mulher, do Desenvolvimento Social, da Igualdade Social, dos Direitos Humanos e do Trabalho, Deputada Leda Borges, do Presidente da Câmara Municipal, vereador Leopoldo Pereira, dos vereadores Antônio Camilo, Wemerson de Souza, Gilomé Cândido, Gabriel Peixoto, Léo Preto, Joãozinho Moreira, do Presidente da Associação dos Deficientes Físicos de São Simão, Julho Alves de Oliveira, da Supervisora dos Programas Sociais do Estado de Goiás em São Simão, Maria Cecília Barbosa Vasconcelos, além de lideranças regionais. Em seu discurso de abertura das atividades a secretária Lêda Borges explicou que, o programa promove essa saudável aproximação entre o poder público e a população. “Todos falam em crise, mas nós falamos em trabalho. É vontade do governador e de toda a equipe da Secretaria Cidadã que a população São Simãoense usufrua destes serviços. Nossa equipe estará à disposição de todos vocês por esses dois dias”, falou Lêda Borges. Para o prefeito em exercício, Adelsso Nogueira, “quem ganha com o Ação Cidadã é a democracia, pois é uma oportunidade também para ouvirmos o cidadão com suas observações, suas demandas, visando melhorar cada vez mais os serviços públicos que prestamos”. “Esta aproximação do governo com o povo é a principal característica da administração municipalista que atende diretamente os anseios da comunidade. Só temos a agradecer ao governador Marconi pelos benefícios que recebemos, principalmente pela atenção e carinho que ele demonstrou a cada um de nós”, ressaltou Adelsso. Segundo a Coordenadora do Ação Cidadã e gerente de Cidadania e Justiça Social da Secretaria Cidadã, Vânia Prata, o programa amplia a prestação de serviços, levando o atendimento para mais perto da população. “O Ação Cidadã é uma possibilidade a mais de garantir o acesso do cidadão aos serviços públicos do Estado. O intuito do governador Marconi é de fortalecer cada vez mais esse programa, considerando a sua mobilidade e viabilidade de chegar a locais de difícil acesso no território goiano”, destacou. “Esta é uma oportunidade para que os governos estadual e municipal promovam a cidadania e permita que os cidadãos, sobretudo os mais necessitados, tenham acesso gratuito a vários benefícios”, disse o presidente da Câmara de Vereadores, Leopodo Pereira. Para realizar o programa, a Secretaria Cidadã conta com a parceria de diversos órgãos de governo e entidades, como a Secretaria de Segurança Pública, Secretaria de Gestão e Planejamento (Segplan), Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Científico e Tecnológico (SED); Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, a Defensoria Pública; o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de Goiás (Sebrae-GO); Tribunal de Justiça, Corregedoria Geral de Justiça, Polícia Civil, Tribunal Regional Eleitoral (TRE), prefeituras e a Organização das Voluntárias de Goiás (OVG), que doa kits enxovais e fraldas geriátricas. 11.182 atendimentos e 4.473 pessoas atendidas A população gostou do programa e inúmeros moradores saíram elogiando ao final do serviço que tinham ido buscar. Um dos mais procurados no programa foi o que emitia documentos, como as carteiras de identidade (RG) e trabalho. A jovem advogada Kallyne Rocha foi uma, dentre as 230 pessoas, que se beneficiou do serviço de emissão de RG. Filha de militar, a jovem procurou o balcão de atendimento para alterar o documento. “Há um bom tempo, queria e precisava trocar minha identidade e, com a vinda do Ação Cidadão e a disponibilidade desse serviço, finalmente, pude fazer tudo sem ter de ir até Santa Vitória ou Quirinópolis”, afirmou. O Passaporte do Idoso foi um dos diversos programas da Secretaria Cidadã, presente na ação. Pessoas com mais de 60 anos de idade puderam solicitar o benefício e em São Simão, 126 idosos procuraram pelo benefício. “Quero visitar parentes na Bahia e em Três Lagoas, agora com o passaporte fica mais fácil e sem ter que pagar”, comemorou com o documento em mãos, o aposentado João Mariano de Araújo. Quem também procurou pelo Passaporte foi a dona de casa Maria de Lourdes Ferreira. Acompanhada da comadre Edinamar, a aposentada e moradora do setor Popular, disse que estava em busca do passaporte para poder viajar para a casa dos parentes, em especial dos irmãos. “Com o passaporte quero viajar bastante e visitar à casa dos meus parentes”, falou. Quem também trabalhou bastante durante os dois de serviço foi o Grupo Executivo de Enfrentamento às Drogas (GEED). O GEED trabalhou na promoção de palestras e na informação sobre alternativas para acolhimento de pessoas usuárias de drogas, para mais de 790 beneficiários dos programas Renda Cidadã e Bolsa Família. A Oganização das Voluntárias de Goiás (OVG) participou da ação distribuindo 135 enxovais para gestantes e fraldas geriátricas. “Muitas das gestantes que nos procuraram, não tinham condições de comprar os enxovais de seus bebês. É muito importante esse trabalho, que tem o objetivo de garantir a inclusão social logo a partir dos primeiros dias de vida”, comentou Ana Lúcia, responsável pela distribuição dos kits. Para a futura mamãe, Carla dos Santos, o presente chegou em boa hora: “Eu não teria condições de comprar um enxoval como esse por enquanto”, contou feliz com o kit em mãos. Alguns dos serviços disponibilizados pelo Ação Cidadã, provoca e proporciona grandes emoções durante os atendimentos. E um deles é o projeto Pai Presente, que traz histórias de reconhecimento de paternidade, algumas delas tardia, como a de Rosa Valéria Ribeiro da Silva que aos 38 anos teve, enfim, a paternidade reconhecida pelo aposentado Luiz Torres da Silva. Acompanhada da nora, do filho e pela neta, Rosa veio ao Ação Cidadã só para fazer o reconhecimento e a agilidade do processo foi o que mais lhe agradou. Segundo Ela, eles estavam tentando fazer a averbação (inserir nome do pai na certidão) há vários anos. “Nós já mantínhamos contato há vários anos. A demora em colocar o nome dele no meu registro foi porque faltava o ‘batistério’ e alguns documentos. Por ele ser cadeirante a dificuldade de ir às audiências aumentava, mas graças a Deus resolvemos tudo hoje. Depois de 38 anos e uma longa espera, agora tenho o nome de pai nos meus documentos”, emocionada e eufórica, Rosa assinava o Termo de Reconhecimento Espontâneo de Paternidade, que já havia sido assinado pelo pai Luiz. Para a escrevente autorizada, Maria Madalena de Sousa, o “Pai Presente” é um serviço sem custo. “É só o pai se declarar como pai biológico e a averbação sai”, explicou. Para o senhor Luiz, é necessário que a responsabilidade de assumir o filho legalmente parta da consciência do pai. “Mesmo que eu esteja longe dela, ela saberá que eu sou pai, e isso ninguém tira dela. Todos nós estamos muito contentes. Uma vez que passei ela para o meu nome, ela é minha!”, comemorou ele em meio às lágrimas. O projeto Pai Presente propõe o reconhecimento espontâneo. Para ajuizar a ação, basta que a mãe leve a certidão de nascimento do filho e aponte nome e endereço do suposto pai em qualquer cartório de registro civil, de preferência onde a criança foi registrada. Um formulário será preenchido e mandado para um juiz local que iniciará o procedimento de investigação de paternidade. Se o pai se declarar pai no cartório por livre e espontânea vontade, a averbação sai na hora. Quando o pai comparece à audiência e nega a paternidade, ou ele não comparece, o caso é encaminhado para a defensoria pública. Em seguida é ajuizada uma ação de investigação de paternidade em uma das varas de família do estado de Goiás e o pai é citado para contestar a ação. O procedimento geralmente não demora mais de dois anos. Confira abaixo os serviços oferecidos e a quantidade de atendimento no Ação Cidadã de São Simão: *Emissão Carteira de Identidade (1a e 2a vias): 230 atendimentos. *CPF: 352 atendimentos. *Carteira de Trabalho: 211 atendimentos. *Certidão de Nascimento (1a e 2a vias): 149 atendimentos. *Certidão de Casamento (2a via): 18 atendimentos. *Passaporte do Idoso: 126 atendimentos. *Passe Livre para Deficientes – PNE: 11 atendimentos. *Fotografias: 1.230 atendimentos. *Xerox para documentos: 5.378 atendimentos. *Corte de cabelo: 181 atendimentos. *Recreação e lazer: 536 atendimentos. *Assistência odontológica (limpeza bucal e aplicação de flúor): 121 atendimentos. *Secretaria Municipal de Saúde: 246 atendimentos. *Orientações do programa Bolsa Família: 137 atendimentos. *Orientações do programa Renda Cidadã: 264 atendimentos. *Unidade móvel de atendimento e acolhimento à mulher; 103 atendimentos. *Oficina de artes: 35 atendimentos. *Programa Pai Presente (reconhecimento de paternidade); 16 atendimentos. *Linhas de créditos (Banco do Povo): 18 atendimentos. *Escola sem Drogas: 272 atendimentos. *Distribuição de mudas: 142 atendimentos. *OVG – Entrega de enxovais e fraldas geriátricas: 135 atendimentos. *Detran: 474 atendimentos. *GEED Enfrentamento às drogas: 797 atendimentos.